[Resenha] Ela disse, Ele disse - Thalita Rebouças

Por muito pouco, a timidez de um pode virar antipatia na cabeça do outro; por outro lado, uma reação mais alegre e espontânea corre o risco de ser interpretada como "mole" pelo sexo oposto. Não é à toa que, do alto dos seus 14 anos, Rosa conclui que "garotos são feitos de outro tipo de massinha". Mas apesar de todas as diferenças, os olhares desses dois filhos únicos de pais separados insistem em se cruzar desde o primeiro dia de aula na escola Dinâmica.
Oi, darlings. Tudo bom com vocês? Bem, vocês sabem que às vezes meu estoque de livros "quero ler" aqui em casa simplesmente, acaba. Minha irmã havia pedido esse livro emprestado há um bom tempo, e, como ele tava aqui, resolvi ler. Uma leitura super rápida, um livro bem fino (não tem nem 200 páginas), que eu li basicamente em um dia (comecei na madrugada do dia 11, passei o dia todo sem ler, fui ler à noite, e terminei na madrugada do dia 12). Então, soltando mais uma resenha.

Rosa é uma garota que depois de se mudar de Vitória, com 14 anos, foi para o Rio de Janeiro. Ela se transfere pra Escola Dinâmica, e de cara, a primeira pessoa que fala com ela é um garoto chamado Leonardo, ou Leo. Eles pouco à pouco vão se conhecendo, primeiramente Leo achando que ela era antipática e fria, e ela achando que o garoto que desde o início ela tinha achado legal tinha mudado, por ter ido se tornar amigo dos "trogloditas". Daí começa uma relação. É isso.

Gente, esse livro é tão simples que chega a ser incrível. Simplesmente conta a história deles dois, de um romance que foi surgindo aos poucos na vida de dois adolescentes comuns. Ambos filhos únicos de pais separados.

Extremamente liberal. Parece que com algumas personagens ela quis mostrar que a triste e infeliz realidade dos "ficas" no Brasil é a coisa mais normal do mundo. Afinal, o que tem de errado em beijar um pessoa sem nem ao menos conhecer? Afinal, somos jovens! PÉM! Para tudo, minha querida. Gente não é laranja pra você chupar o bagaço e jogar fora (meu pai mesmo falou essa frase). Por que as meninas se sentem infelizes no amor? Ora, vão passando de mão em mão, rapaz! Cadê o respeito com o seu corpo e com o da outra pessoa? Eu, pessoalmente, acho a paquera muito mais correta e fofa. Os primeiros olhares, "vamo sair comigo?", se conhecendo melhor, e depois o pedido de namoro. E não um fica sem discernimento em que nem o próprio casal sabe onde tá a relação. 

As personalidades de alguns deles (Júlia e pai da Rosa) eram tão extremistas que fica difícil acreditar que umas pessoas dessas pudessem existir. Leo e Rosa são adolescentes comuns, mas esses dois que eu citei anteriormente... Eu, hein.

Essa história que ficar "é uma experiência"... Desde quando você sabe que a pessoa tem um coração bom e seria um bom companheiro pra você pela qualidade do beijo dela? Perdão se vocês se sentiram ofendidos, mas foi o que eu achei. A história é tão simples que fica difícil não reparar nesses pontos. O mundo hoje em dia tá assim, mas não é porque todo mundo acha que você tem que concordar. O povo diz "que a mentalidade mudou"? Pois pra mim a mentalidade não tá certa.

Tirando esses pontos, a história é uma narrativa de amor adolescente. Narrada em primeira pessoa alternando os pontos de vista de Leo e Rosa. Eu dou duas estrelinhas. Se vocês se sentiram ofendidos, desculpa mesmo. Talvez alguns tenham uma mentalidade diferente da minha, mas eu tenho que dizer o que eu achei do livro, né? Pra mim gostar ou não de um livro é mais do que gostar da narrativa e da premissa. A gente tudo tem que saber filtrar. Tirar o que é bom do livro e aproveitar, relevando o que é mal, mas não tomando como exemplo.

Informações sobre o livro:
Título: Ela disse, Ele disse
Autora: Thalita Rebouças
Editora: Rocco
Páginas: 192
Avaliação:

3 comentários:

  1. Olá Clara!!!
    Sua opinião muito sensata, amei a explicação do que engloba gostar de um livro.
    Acredito que quem escreve p/ jovens tem uma responsabilidade maior, se a mentalidade mudou, pode ser, mas, o exemplo do beijo teria que vir c/ um fazer pensar, como vc fez na sua resenha.
    Abç
    e boas leituras

    ResponderExcluir
  2. Eu acho a Thalita Rebouças uma graça de autora! Super simpática e tudo mais, porém os livros dela não me atraem, acho muito jovem.

    Mas gostei da resenha ^^
    e sem dúvida do blog, super clean.

    beijos querida.

    ResponderExcluir
  3. Oi Clara, tudo bem? Eu tinha muita vontade de ler o livro por causa da premissa, que é tão clichê, mas tão fofa *----*
    Só que é um livro da Thalita Rebouças e eu já conheço a narrativa dela há muito tempo, porque os livros dela foram os primeiros que eu li depois de Harry Potter. E posso dizer que me decepcionei um pouquinho, porque apesar de ser bem descontraída parece meio impessoal e sei lá. Não é AQUELE tipo de escrita. Então acho que só vou ler o livro um dia por influência do destino, haha.
    Beijos!
    http://thebooksthief.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Incantevole, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena